Entenda qual a relação entre ansiedade e alimentação

7 minutos para ler

A relação entre ansiedade e alimentação sempre foi objeto de pesquisas na área da saúde mental. O número de estudos aumentou consideravelmente, principalmente na última década, sinalizando a importância dessa associação.

Exemplo disso é o surgimento de uma nova área do conhecimento, como a psiquiatria nutricional, que faz experimentos em laboratório com camundongos para ajudar a desvendar como a alimentação pode deixar as pessoas mais felizes ou tristes.

Neste artigo, vamos explicar o conceito de ansiedade, a relação entre esse sentimento e a alimentação, bem como os principais nutrientes que podem ajudar no tratamento desse distúrbio. Acompanhe e saiba mais!

O conceito de ansiedade

A ansiedade é uma emoção inerente ao ser humano, que ocorre em situações como dificuldades no trabalho, necessidade de tomar decisões importantes ou antes de uma prova, entre outras motivações. No entanto, quando ela se torna excessiva ou constante, é sinal de um distúrbio psicológico.

Em geral, as pessoas que apresentam esse distúrbio em situações rotineiras sofrem com sinais específicos que podem persistir por seis meses ou mais, caracterizando o Transtorno de Ansiedade Generalizado (TAG), com sintomas físicos, como:

  • boca seca;
  • dor de barriga ou diarreia;
  • dor ou aperto no peito e palpitações;
  • falta de ar;
  • mãos e pés frios;
  • medo;
  • náusea;
  • cansaço ou fraqueza;
  • sudorese (suor excessivo);
  • tensão;
  • respiração ofegante;
  • irritabilidade;
  • tremores.

Por se tratar de um problema crônico, o tratamento médico é importante para controlar os sintomas. Geralmente, os especialistas indicam uma combinação de tratamentos, como medicamentos associados à psicoterapia e à psicanálise.

Contudo, os tratamentos convencionais podem não ser eficazes por muito tempo. Para auxiliar no combate à ansiedade, várias pesquisas indicam que uma alimentação saudável, rica em cereais integrais, frutas, verduras, legumes e proteína magra pode ajudar no gerenciamento da ansiedade.

A relação entre ansiedade e alimentação

A ansiedade diminui o nível de serotonina no cérebro, que é o hormônio responsável pela sensação de bem-estar. Como a sua produção pode ser estimulada com alimentos ricos em carboidratos, é possível entender a compulsão por comida e o consequente aumento de peso corporal.

Além disso, em situações de estresse e ansiedade comemos mais, porque o organismo libera um hormônio chamado cortisol, que dá a sensação de fome e aumenta a capacidade de armazenar gordura nas células.

Os alimentos que podem ajudar a controlar a ansiedade

Muitos alimentos podem ser grandes aliados no combate à ansiedade. Nesse sentido, o site Medical News Today indica alguns dos principais nutrientes que podem ajudar. A seguir, detalharemos cada um deles e, assim, ficará mais clara a relação entre ansiedade e alimentação. Confira!

Camomila

A camomila é uma erva que tem propriedades anti-inflamatórias, antibacterianas e antioxidantes que podem auxiliar em algumas doenças e problemas relacionados à saúde. Porém, seu principal efeito vem de uma substância presente nela chamada apigenina, que tem propriedades ansiolíticas e sedativas.

Por conta de seu efeito calmante, ela é capaz de ajudar na luta contra a ansiedade ao acalmar os nervos e reduzir a hiperatividade. Ela também pode contribuir para uma melhor noite de sono, combatendo a insônia. O jeito mais comum e fácil de consumi-la é em forma de chá.

Castanha-do-pará

A alimentação com castanha-do-pará pode ser eficaz contra a ansiedade. Esse alimento é rico em selênio, o que melhora o humor e reduz as chances de quadros de transtornos mentais. Ele tem a presença de vitamina E com antioxidantes que tem ações diretas no sistema nervoso e, assim, também auxiliam no controle desses transtornos.

Chá verde

O chá verde é outra opção de erva que combate a ansiedade. Ele contém o aminoácido teanina, que ajuda no relaxamento e no controle dos transtornos de humor, além de diminuir a frequência cardíaca e a pressão sanguínea. Por todos esses motivos citados, ele também é considerado um chá de efeito calmante.

Chocolate amargo

O consumo de chocolate em concentrações a partir de 70% pode aumentar a produção de serotonina. O chocolate amargo também é uma boa fonte de magnésio, que tem importantes funções no sistema nervoso e pode reduzir o estresse e sintomas de depressão e ansiedade.

Cúrcuma ou açafrão da terra

O nutriente chamado curcumina contido no açafrão da terra pode diminuir a inflamação e o estresse oxidativo, que alteram o humor e causam depressão e ansiedade, principalmente em pessoas obesas. A forma mais comum de incluí-lo na alimentação é em forma de tempero, porém, existe a possibilidade de consumi-lo em forma de chá.

Iogurte

O iogurte é outro alimento que pode ser um aliado no controle da ansiedade. Ele contém lactobacillus e bifidobacterium, bactérias boas e importantes para o corpo que contribuem com a saúde mental devido à sua fermentação. É um produto que tem o poder de reduzir a inflamação e, por isso, pode ser útil no tratamento de transtornos mentais.

Ovos

Os ovos são ricos em vitaminas do complexo B, importantes para manter a saúde mental. A gema, por sua vez, é fonte natural de vitamina D. No entanto, o consumo do ovo com a clara proporciona vários nutrientes, como proteína e aminoácidos essenciais, inclusive o triptofano.

Peixes (salmão, sardinha, cavalinha, arenque e truta)

Comer peixes melhora a função cognitiva, pois eles contêm ômega 3. Ainda, há indícios de que esse nutriente pode ajudar no tratamento da ansiedade, já que é uma gordura que tem ação anti-inflamatória. A sardinha e o salmão também contam com a vitamina D, importante no tratamento da depressão.

Semente de abóbora

A semente de abóbora é rica em uma variedade de nutrientes. Ela é fonte de magnésio, ômega 3, vitaminas E e do complexo B e atua como antioxidante. Também é uma boa fonte de zinco, que auxilia no controle das emoções e na melhora do humor. O consumo dela pode evitar a insônia, a depressão e a ansiedade.

Chá de hibisco

O chá de hibisco, assim como o chá verde, ajuda no controle da pressão sanguínea. Ele tem a presença de flavonoides, que têm propriedades antidepressivas. Por isso, é usado como calmante e é indicado para combater a insônia, depressão, ansiedade e sintomas de estresse no geral.

Banana

Assim como a clara do ovo, a banana também tem triptofano. Esse aminoácido faz o corpo aumentar a produção de serotonina que, por sua vez, atua no cérebro e no sistema nervoso e faz com que o sono e o humor se regulem, reduzindo a ansiedade.

Aveia

A aveia é um alimento que reúne alguns dos pontos benéficos dos alimentos já citados neste texto, como as vitaminas do complexo B e o magnésio, além de estimular a liberação de serotonina no corpo, bem como os ovos e a banana. Inclusive, a aveia pode ser consumida junto da banana para potencializar todas as vantagens desses alimentos.

Como vimos, a relação entre ansiedade e alimentação tem sido objeto de estudos científicos constantes. Nesse sentido, para garantir uma boa saúde mental e física, é fundamental manter uma alimentação saudável. Além disso, é preciso gerenciar as próprias emoções e ter um acompanhamento médico.

Gostou deste artigo? Então, compartilhe-o nas suas redes sociais para que mais pessoas possam se informar sobre o assunto!

Você também pode gostar

Deixe um comentário