Acne hormonal: entenda o que é e quais suas características

acne hormonal
6 minutos para ler

Mais comum entre as mulheres, a acne hormonal surge, geralmente, a partir dos 25 anos e, como o próprio nome indica, tem como principal motivação a ocorrência de alguma alteração nos hormônios sexuais. Entretanto, o problema não é um incômodo apenas por questões estéticas, já que também impacta negativamente a saúde da pele.

Justamente por isso, quanto mais cedo for identificado — com a descoberta da causa — e, consequentemente, tratado, menos complexa a sua eliminação total será. Mas será que você conhece as características mais marcantes da acne hormonal? Ou até mesmo sabe diferenciá-la daquela provocada por estresse, por exemplo? Há muitas dúvidas em torno desse assunto e, por essa razão, neste post, o nosso objetivo é sanar as principais. Boa leitura!

O que realmente é a acne hormonal e quais são as suas causas?

Diferentemente do que grande parte das pessoas pensa, a acne não é uma condição que afeta somente os adolescentes. Na verdade, ela atinge mais da metade dos adultos e, durante essa etapa da vida, o seu surgimento é comum, principalmente em determinados momentos como:

  • antes do início do período menstrual;
  • ao longo de uma gestação;
  • na menopausa.

Via de regra, quando é consequência de desequilíbrios hormonais, ela é conhecida como acne hormonal. Também chamada de “acne adulta”, ela pode ser ocasionada, por exemplo, pela elevação de hormônios androgênicos, situação que é conhecida como “hiperandrogenismo”. Nesse caso, ocorre uma produção maior de sebo, o que usualmente resulta na pele acneica. O aumento dos hormônios andrógenos no organismo pode ser efeito de fatores diversos, como:

  • a puberdade, pois, nessa fase, é natural que os níveis de testosterona aumentem — mesmo nas meninas;
  • o ciclo menstrual, já que a pele, no intuito de buscar o equilíbrio hormonal, também produz mais sebo. Nesse caso, quando o início da menstruação está próximo, é comum que haja uma redução dos níveis de estrogênio, o que acaba por “abrir espaço” para a testosterona. Além disso, em simultâneo, os poros que estavam fechados começam a se abrir, permitindo a entrada de bactérias, o que também motiva o surgimento das espinhas no rosto;
  • o período gestacional, haja vista que, durante a gravidez, os níveis de progesterona e de estrogênio sofrem grande oscilação. A realidade é que esse é um momento de grandes alterações hormonais no corpo, sendo bastante comum que apareçam as indesejáveis espinhas — mesmo que isso não seja uma regra aplicável a todas as gestantes. A boa notícia, porém, é que, após o parto, com a redução dos hormônios, a tendência é de que a pele volte ao normal;
  • a menopausa, que acaba por não livrar nem mesmo as mulheres mais maduras da acne hormonal, já que, durante esse período, os níveis de estrogênio sofrem uma queda e os hormônios passam por significativas variações. Então, é natural que as espinhas surjam em razão desse desequilíbrio.

Como diferenciar a acne hormonal da acne por estresse e quais são as características mais comuns da primeira?

A acne hormonal, em geral, tem como particularidade a maior incidência na região facial inferior, comumente entre a mandíbula e o queixo. Segundo a dermatologista Alessandra Romiti, que coordena o departamento de Cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), nesse caso, além de a localização ser diferente da acne habitual, é possível que a pessoa perceba outros sintomas, como a queda capilar, o aumento dos pelos e demais sinais que podem indicar alterações endócrinas.

No entanto, outro fator que influencia — e muito — o surgimento de erupções na pele é o estresse. As questões de ordem psicológica têm o potencial de deixar os sentimentos extremamente aflorados, o que provoca o aparecimento (ou o agravamento, se for o caso) das lesões. Nesse quadro, na verdade, o agente por trás da acne tem origem endócrina também, porque as alterações no cortisol podem ser responsáveis pela irregularidade de todas as demais funções hormonais.

Simplificando, o estresse emocional consegue desencadear a liberação de inúmeros hormônios e diversas substâncias químicas, como o cortisol, do qual falamos. Então, quando os seus níveis estão elevados, ocorre uma verdadeira “bagunça” nos sistemas orgânicos, inclusive com a interrupção dos níveis hormonais que mantêm a produção de sebo equilibrada.

Isso, por sua vez, resulta na obstrução dos poros e, consequentemente, no aparecimento de cravos e de espinhas. Além disso, outra diferença da acne por estresse em comparação à acne hormonal é a localização, já que a primeira costuma se concentrar nas regiões mais oleosas do rosto, especialmente no nariz e na testa.

Quais são os melhores tratamentos para a acne hormonal?

Naturalmente, a prevenção sempre é o melhor tratamento. Então, ao ter — e seguir religiosamente — uma rotina de skincare, mesmo nos momentos de maior oscilação hormonal, a acne pode surgir de forma menos expressiva. Aliás, ao contrário do que grande parte das pessoas acredita, não é necessário inserir no seu dia a dia a aplicação de uma infinidade de produtos para alcançar resultados satisfatórios.

Um kit que inclua uma espuma de limpeza facial, voltada para o controle da oleosidade, uma solução micelar, que limpe e hidrate de forma mais profunda, e um sérum que combine ácido hialurônico e Vitamina C, para revigorar e regenerar a pele, é enxuto e altamente eficaz. Contudo, de forma complementar, é interessante também voltar a sua atenção a outros fatores que podem exercer influência sobre a sua saúde como um todo, por exemplo, a alimentação, que deve ser tão saudável e balanceada quanto possível.

Como visto, a acne hormonal, embora esteja fortemente associada a períodos comuns às etapas da vida da mulher, pode ser prevenida e reduzida, principalmente com a inclusão de bons hábitos de skincare na sua rotina. Nesse sentido, o ponto de partida ideal deve ser procurar uma orientação profissional, a fim de se certificar dos fatores que vêm motivando o surgimento das erupções e, em seguida, colocar em prática as melhores medidas no intuito de preveni-las.

Aproveitando o gancho sobre o autocuidado, que tal aproveitar a visita ao blog e conferir também o nosso post com excelentes dicas para cuidar da pele oleosa?

Você também pode gostar

Deixe um comentário